sábado, Janeiro 15, 2011

"Adeus Zé Braga" | Até Sempre, Tio


"Adeus Zé Braga". Foram estas as palavras que saíram da boca do mui estimado Serafim quando iniciava a difícil e triste tarefa de tapar com terra a cova onde jazia o meu tio, ao mesmo tempo que as lágrimas lhe corriam pela face dorida. A minha prima Ana, sabendo que este pode ser um espaço de encontro entre alvocenses por tantos cantos espalhados, pediu-me que colocasse aqui esta nota de agradecimento a todos aqueles que estiveram presentes na última despedida do seu pai e a todos os outros que, impedidos de se deslocarem por motivos vários, manifestaram sem reservas o seu pesar.
A todos o nosso muito obrigado!

A fotografia do tio Zé aqui presente foi a única e também a última que lhe consegui tirar. Como o tio não parava e os meus filhos, nesta tarde na Ponte Medieval, também não, assim a foto ficou. Como quer que seja, fica o retrato de um Homem que só não fez mais porque a doença o travou, tal como acontecera com o seu pai, o nosso avô Manuel "Braga".

Até Sempre!

quinta-feira, Fevereiro 05, 2009

foto memória # 150 - Das recolhas fotográficas às recolhas fonográficas

Por manifesta falta de tempo e empenhamento noutros projectos pessoais, este espaço de homenagem sincera à freguesia de Alvoco das Várzeas tem estado um pouco parado, não querendo com isto dizer que morreu. Não! Nada disso! Apenas está moribundo, se quiserem.
No entanto, as fotos falam por si e aqui continuarão à disposição de todos. Este é um espelho de Alvoco que, penso, lhe refelcte a alma...
Outro espelho que agora decidi criar, tendo em conta um trabalho que venho desenvolvendo desde Outubro de 2008, que pode ser apreciado em www.luisantero.synthasite.com, é o das recolhas fonográficas desta bonita freguesia, ou seja, sons e ambientes de Alvoco das Várzeas e Parente (e toda a área envolvente, claro).
Creio que será um projecto de alguma relevância, uma vez que permitirá preservar e divulgar um legado sonoro colectivo ou memória colectiva em termos sonoros, se quiserem, única e insubstituível (todas as aldeias têm o seu som, o seu ambiente sonoro).
Sons de Alvoco (assim se chama o dito) vai estar alojado em site próprio com o endereço www.sonsdealvoco.synthasite.com e espero, sinceramente, que seja do vosso agrado.
Passem por lá e comentem aqui, neste blog irmão, para que ele não morra de vez...
:)
Um abraço!

Luís Antero

domingo, Agosto 10, 2008

foto memória # 139 - ... gasta pelo tempo

foto memória # 138 - Perspectivas Soltas em Lagares da Beira

Depois de Oliveira do Hospital e da bonita aldeia de Chão Sobral, a exposição de fotografia Foto Memória de Alvoco_Perspectivas Soltas Sob o Céu Azul, está agora patente ao público, até 31 de Agosto, no espaço de intervenção cultural Espinhal Mouro, em Lagares da Beira, Oliveira do Hospital.

http://espinhalmouro.r--1.com


domingo, Abril 27, 2008

foto-memória # 135 - Perspectivas Soltas Sob o Céu Azul - Exposição de Fotografia na Livraria Apolo | Oliveira do Hospital | texto de apresentação

Quando, em 2005, rumei a Lisboa, para lá trabalhar durante 2 anos, senti de imediato que deixava para trás algo que lá jamais encontraria: Alvoco, mesmo sendo um rio com menor expressão, é mais belo e limpo que o Tejo. É óbvio que iria ter saudades do Alvoco e da sua aldeia que lhe empresta as Várzeas. Decidi então, utilizando as vantagens da Web, produzir um blogue fotográfico sobre a freguesia de Alvoco das Várzeas, a que chamei Foto-Memória de Alvoco - wwwfotomemoriadealvoco.blogspot.com - e assim poder tê-la sempre ao alcance de um clique, ainda por cima com perspectivas muito pessoais. Optei, deliberadamente, pelos pormenores em fotografia sobre elementos naturais... A exposição Foto-Memória de Alvoco_Perspectivas Soltas Sob o Céu Azul, congrega um conjunto de 16 fotos, dividida por 2 grupos (cor e água), onde se pretendem espelhar pormenores e recantos da freguesia (as fotos foram tiradas em Alvoco das Várzeas e no Parente).Todos os trabalhos foram realizados sob uma perspectiva auto-didacta e sem grandes conhecimentos técnicos sobre a arte de fotografar. Espero, sinceramente, que gostem.
Luís Antero